You are currently viewing A praia, o turismo e a beleza pode no inverno

A praia, o turismo e a beleza pode no inverno

A trilha do cara roxa, café e almoço caiçara, artesanato e a beleza de Juruvaúva finaliza o curso de turismo rural na Ilha Comprida.

A praia pode sim ser um excelente destino turístico no inverno é o que provaram os formandos do curso de Monitoria de Propriedade de Turismo Rural“, ministrado entre os dias 13 e 16 de agosto, e encerrado quarta 21/08, na Ecovila, em Juruvaúva.

SENAR realiza parceria com prefeitura

Realizado pelo SENAR em parceria com a Prefeitura, o curso abordou um novo olhar no setor turístico local com a valorização dos produtos locais e a integração entre os diferentes serviços.

“Orientamos a todos que valorizem o que têm de melhor nas comunidades, se apropriem dos atrativos porque tudo isso têm um grande valor para o turista”, destacou a instrutora do SENAR, Cintia Tomie Suguino.

Finalmente, assim, o dia começou com um caprichado café caiçara, seguido de trilha do papagaio de cara roxa, passeio na praia, nas dunas e o almoço caiçara com entrada de ostras frescas de Juruvaúva, lambe lambe e peixe com molho de camarão, saladas com molho de pimenta rosa e a sobremesa com brownie de banana com sorvete e pudim de cataia com pimenta rosa.

A demonstração foi acompanhada por aprendizes do curso de Turismo do Boqueirão Sul e pela presidente do Fundo Social de Solidariedade (FSS) da Ilha Comprida, Juliana Peitl:

“Estamos encantados com a receptividade, com os atrativos e tenho certeza que vocês farão a diferença no fortalecimento do turismo em nosso município”.

O coordenador de cursos do município, David Vitor, destacou que o objetivo é valorizar a gastronomia, fomentar o desenvolvimento do turismo de base comunitária e rural e contribuir para o desenvolvimento da comunidade local.

O curso foi ministrado na casa de Darci Pupo, na Ecovila Juruvaúva.

Características das ecovilas turismo e beleza

As ecovilas são baseadas em conceitos como permacultura e agroecologia. Assim, tudo é pensado para causar o menor impacto ambiental possível, aproveitando o que o ambiente fornece e devolvendo a ele, de forma ordenada, o que é excedente ou residual.

Grande parte das ecovilas produz o próprio alimento através de práticas agroecológicas, usando o mínimo necessário de insumos externos ao sistema agrícola e evitando agrotóxicos. Além disso, o uso de banheiros secos e outras medidas sanitárias ecologicamente eficientes evita a contaminação de solo e água com dejetos, ao contrário do que ocorre nos grandes centros urbanizados.

Fonte: Município de Ilha Comprida – Assessoria de imprensa