You are currently viewing Coruja Motcho passa por tratamento

Coruja Motcho passa por tratamento

Após atropelamento que causou rupturas em sua asa esquerda, uma coruja Motcho –Diabo (Asio stygius), espécie rara de ave, foi resgatada por voluntários da SOS Pinguim, e encaminhada para tratamento na Divisão Municipal de Zoonoses da Ilha Comprida.

Após limpeza no local do ferimento, desinfecção e amputação da asa feitos pelo médico veterinário Ricardo Birolli Coutinho, a coruja será monitorada diariamente até sua recuperação e posterior encaminhamento a um santuário de animais.

resgate-coruja-motcho-ilha-comprida
Coruja Motcho passa por tratamento

O médico veterinário Ricardo afirmou que a amputação de parte da asa foi necessária em razão da gravidade da situação, inclusive, com osso exposto.

Seu resgate envolveu uma grande corrente do bem. Após o atropelamento ocorrido por volta das 18h de quarta 03/03, na Av. Beira Mar, no balneário Kennedy, o morador das imediações, Edson, acionou o guia de observação de aves, Edson Rocha, que a resgatou e a encaminhou ao Corpo de Bombeiros, onde passou a noite.

CORUJA MOTCHO PASSA POR TRATAMENTO NA ZOONOSES DA ILHA COMPRIDA

Na manhã de hoje 04/03, o integrante da SOS Pinguim da Ilha, Cristian Negrão, a encaminhou à Divisão de Zoonoses da Ilha, onde recebeu cuidados veterinários.

“Faremos de tudo para que ela se recupere. Estaremos monitorando diariamente. É muito triste ver um animal em sofrimento“, afirmou Cristian que agradeceu a todos envolvidos no resgate e tratamento, ao médico Ricardo e auxiliar, Robson.

resgate-coruja-motcho-por-cristian
Cristian Negrão

Cristian Negrão, que também é profissional do município, afirmou que preparou um espaço especial para a coruja na área da horta municipal.

Segundo Cristian, a espécie é rara e a Ilha tem o privilégio de contar com colônias da Motcho.  Em alguns balneários.

O mocho-diabo (Asio stygius) é uma coruja que tem o nome popular associado à cor vermelho-brilhante dos olhos ao refletir a luz incidente e também às penas eretas na cabeça, que lembram dois chifres. A ação da ave é observada à noite.

Fonte: Município de Ilha Comprida – Assessoria de imprensa