Ilha realizou gravações com o músico e capoeirista Johnny Lacerda

Ilha realizou gravações com o músico e capoeirista Johnny Lacerda

A equipe de produção audiovisual da Lei Aldir Blanc realizou na quarta 21/04 a produção de material audiovisual do músico e capoeirista Johnny Lacerda.

Johnny apresentou uma vide aula com a história, a produção artesanal e os sons do berimbau.Além de tocar, ele mesmo faz o berimbau como pinheiro, pedras de rio e cabaça, materiais locais. Além dos trabalhos artísticos de Johnny, a equipe também mostrará ao público o trabalho dos 36 artistas locais de diferentes áreas – Artesanato; Workshop; Projeto, Música e Exposição Virtual – selecionados pela Lei Aldir Blanc.

As filmagens e fotos – depoimentos, vide aulas e exposições – são feitos pelo grupo formado por profissionais das Divisões de Cultura e Turismo da Ilha.

lei-aldir-blanc
Gravações com o músico e capoeirista Johnny Lacerda

Produção audiovisual da Lei Aldir Blanc realizou gravações com o músico Johnny  Lacerda

Projeto Ilha Jovem e Ponto de Cultura Crescer para o Futuro, que fazem parte do Grupo de Trabalho de Acompanhamento e Fiscalização da Lei Aldir Blanc. Também é meta abrir uma galeria virtual para exposição permanente da arte local no site do município.

Conheça os artistas selecionados na Lei Aldir Blanc de incentivo à cultura em período de pandemia

Workshop – Marcos Flávio Ortolan Alves, Santo Drop Skate Hostel

Projeto – Philipe Etienne Moreira Jordão, Marco Aurélio Ribeiro e Fabio de Paula Silva

Cantor – Robert Marques dos Santos, Germinio Filadelfo da Silva Junior, Marcelo Santos de Oliveira e Carlos Alexandre Soares dos Santos

Exposição virtual – Fernando Nascimento Cotrim Dias, Ariane Apolinário de Oliveira, Kauê Alcântara Araújo e Henrique Cesar Pellerin de Souza

Artesanato – Elisabete Carneiro Ribeiro Alves, José Roberto Felix, Isadora Vieira de Aquino, Marta Regina Ferreira Soares, Keila Nazaré de Oliveira Araújo, Lia Correia Neves, Isabel Cristina Nunes Ferro, Katia Regina de Oliveira Lopes, Antônio Tadeu Reis Balderrama, Marcia Bonrruque , Edileusa M. Ribeiro dos Santos, Silvia Regina da Cruz Oliveira, Alcione Forest de Arruda Souza, Claudinete Nascimento de Carvalho Silva , Maria de Lourdes Lucchini Cará, Simone Soave da Silva, Magaly Antonia Tavares Gato, Sandra Regina Francelli, Jaqueline do Carmo Souza Cardoso, Ana Paula Model Pereira , Cleonice Taglialatela Grando e Fernanda dos Santos

O que é a Lei Aldir Blanc?

A Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/20) acaba de ter mais um desdobramento na sua já longa história de normas e procedimentos para uma legislação que deveria servir de auxílio emergencial ao setor cultural em função da pandemia do covid-19.

No dia 18/09/20, foi publicado o Decreto federal 10.489/20, que altera a regulamentação anterior (Decreto 10.464/202) e introduz três modificações na execução da LAB.

lei-aldir-blanc-ilha

Duas dessas alterações são, a princípio, positivas. Em primeiro lugar, eliminou-se a obrigatoriedade de homologação, pelo Ministério do Turismo, de toda a base de dados de Estados, Distrito Federal e Municípios, para identificação dos profissionais e espaços culturais a serem beneficiados com a LAB.

Agora, o próprio ente federativo deverá homologar as respectivas informações que utilizar, não mais dependendo de aprovação pelo Ministério quanto aos dados dos socorridos.

Na verdade, em um país de dimensões continentais – com 26 Estados, um DF e 5.570 municípios – não era difícil prever que seria completamente ineficiente centralizar todo controle de dados em um único órgão federal. Assim, esse é um ponto de melhoria, que eliminou uma regra que era equivocada desde o começo.

Fonte: Município de Ilha Comprida- Assessoria de imprensa